A dor

Por: fabiserra

fev 02 2011

Categoria: Sem categoria

Deixe um comentário

Ao ouvir esse nome, o dele, choro.
Choro ainda hoje. Chorarei a vida inteira.
Ela pede desculpas, não fala mais nisso.
Todos os dias ela pensa que poderei falar dele, e ainda não posso.
Mas naquele dia eu lhe disse que achava que um dia o faria.
Que já escrevera um pouco sobre sua volta.
Que tentara dizer alguma coisa sobre aquele amor.
Que fora durante sua agonia que melhor conhecera aquele homem,
que percebera do que ele era feito, apenas ele,
mais ninguém;
que estava falando daquele dom,
daquela característica dele, na terra especifica dele,
e que o conduzia através dos campos,
da inteligência, do amor, da leitura, da política,
de todo o inefável dos dias;
daquele dom só dele
mas composto da idêntica carga do desespero de todos.

Marguerite Duras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: